Agenda

Horário Descrição Palestrantes Formato
08:30

Credenciamento & Welcome Coffee

09:00

Abertura

Alexandre Oliveira, Diretor Geral, HRS e Aline Bueno, Diretora de Vendas, HRS

09:10

Porque e-commerce é o único caminho para o futuro? 

O e-commerce é o segmento de varejo que cresce mais rapidamente, com projeção de US$ 4,058 trilhões em vendas até 2020. O “Mobile-commerce” (ou m-commerce) em particular, é uma via impulsionada principalmente pela expansão e pela influência dos smartphones e pela naturalidade com que os “millenials” os utilizam para comprar online. Em 2016, o setor de comércio eletrônico teve um aumento de 39,1% nas vendas em relação ao ano anterior. Há uma razão pela qual o comércio eletrônico demonstrou um crescimento tão explosivo nos últimos dois anos. De fato, com a internet se tornando um requisito essencial da vida cotidiana, as empresas estão aprendendo a tirar proveito dos inúmeros benefícios do comércio eletrônico.

Samy Dana, Professor, Comentarista econômico e Colunista

Tiago Barra, Head de Growth Brasil, Rappi 

Ted Talk

10:00

Como o e-commerce pode suprir as necessidades dos viajantes em hospedagem corporativa? Como a tecnologia permite o sucesso do cliente em hospedagem corporativa

As reservas de viagens corporativas on-line têm se tornado a principal prática em mercados nos quais a combinação tecnologia, processos e pessoas chegou a um estágio de maturidade. Os viajantes de negócios, imersos e impactados pelo mundo digital em suas vidas cotidianas, desejam os aplicativos, a interatividade e a experiência que vivenciam como viajantes de lazer. Eles esperam pela oferta de hotéis que atendam tanto às suas necessidades e preferências quanto às políticas corporativas de suas empresas. Eles não querem investir seu tempo para pensar no planejamento de viagens e somente o uso de tecnologia possibilitará ofertas personalizadas e antecipadas. Quanto mais soubermos sobre os viajantes e seu padrão de viagem, mais seremos capazes de atender às suas necessidades e resolver as dificuldades de se planejar e gerenciar viagens corporativas.

Tobias Ragge, CEO, HRS

Ted Talk

10:30

Coffee Break & Networking

11:15

Como ficar conectado com seus viajantes antes, durante e após a viagem?

É tudo sobre implementação! Sem isso, você não será capaz de alcançar os objetivos em economia nem em segurança e conforto do viajante. A viagem de negócios nunca é um objetivo, é apenas uma maneira de ir a algum lugar para uma reunião de negócios, externa ou interna. Os viajantes de negócios querem apenas torná-lo simples, suave e ter a experiência de viagem mais eficiente e agradável. Na maioria das reservas feitas fora da política, as compras são feitas durante a viagem, pois os viajantes desejam uma solução rápida e não prestam atenção à política de viagens neste momento. Por outro lado, você precisa que eles sigam a política de viagens e usem os canais de reserva escolhidos para garantir que você tenha visibilidade e controle das atividades e dos gastos. Esta sessão demonstrará como as tecnologias de atendimento ao cliente permitirão a conexão contínua com seus viajantes para garantir a conformidade e a satisfação do viajante. 


Aitor Marin, Gerente Estratégico de Parcerias, HRS

Daniela Piccinato, Diretora de Marketing & Comunicação, Sitel

Felipe Laporte, Co Founder, Smart Trip

Laurita Paredes, Gerente de Compras, DHL Global Business Services

Maurici Junior, Membro do Conselho Administrativo, ABCOMM


Painel

12:00

Como conectar seus diversos fornecedores e simplificar os processos e acessos aos serviços de viagem?

É tudo sobre API! Você pode imaginar um mundo onde todos os seus fornecedores de serviços de viagem estarão conectados entre si para oferecer uma melhor experiência de viagem a sua equipe e, ao mesmo tempo, fornecer os dados de que você precisa para manter o controle de seus gastos? Este sonho se tonará realidade graças à tecnologia API. Esta sessão cobrirá o status atual e os futuros desenvolvimentos da interconexão entre os vários fornecedores de serviços.

Albert Sales, Diretor Comercial, Wappa

Alexandre Oliveira, Managing Director , HRS

Eduardo Vale, Gerente de Infraestrutura, GOL

Hugo Halfed, Diretor Comercial, F(X) Structured Credit Marketplace

Valéria Soska, Diretora Geral, SAP Concur


Painel

12:45

Almoço

14:00

Como conectar hospedagem para viajantes individuais e eventos?

A categoria de hospedagem é o gasto mais comum entre viajantes individuais e eventos. Do lado do hotel, os dois serviços (FIT e Eventos) costumavam ser vendidos separadamente por diferentes forças de vendas com diferentes políticas de preços. Desde que compras começou a olhar para as oportunidades de otimização de gastos em eventos, a indústria hoteleira uniu sua equipe e se aproximou das corporações. No entanto, as políticas de preços e o gerenciamento de rendimento ainda permanecem diferentes e é difícil, muitas vezes, que os não especialistas entendam que tipo de otimização as corporações podem obter agrupando seus volumes. Esta sessão apresentará um estudo de caso sobre como uma corporação conseguiu otimizar seus gastos em hospedagem para viajantes individuais e eventos. 


Marcela Silva, Coordenadora de Viagens, Roche

Phelipe Farah, Diretor Hotel Solutions, HRS

Rosângela Gonçalves, Diretora de Vendas, Transamérica Hotéis

Estudo de caso

14:45

Como conectar com stakeholders internos para otimizar o resultado da categoria de compras de hospedagem?

A categoria de despesas de viagens e eventos não é a única responsabilidade do comprador de viagens e eventos. Inúmeros stakeholders estão envolvidos na estratégia da categoria em vários níveis: de influenciadores a tomadores de decisão. Essas partes interessadas são baseadas em finanças, compras, RH, segurança, TI, unidades de negócios e têm todas necessidades e objetivos diferentes. Para ter sucesso, sua estratégia de categoria não deve levar em conta apenas a cultura e a estratégia geral de sua empresa, mas também os vários requisitos de seus stakeholders. Para fazer isso, você precisa saber como interagir com eles e entender o que eles esperam de você. Esta sessão irá explorar as principais necessidades de todos estes stakeholders. 

Alexandre Arruda, CEO, Argo Solutions

Fabio Longo, Diretor de Administração e Tecnologia, Minerva Foods

Helena Pécora, CFO, Eli Lilly

Keila Hanashiro, Facilities Manager, Santander

Mauro Chermont, Procurement Manager, White Martins


Painel

15:30

Coffee Break & Networking

16:00

Os custos dos canais de distribuição e seu impacto na performance do programa de hotéis

Os compradores de viagens e seus hotéis parceiros muitas vezes ignoram os custos de distribuição associados aos canais de reserva que estão inseridos nos serviços de hospedagem negociados por eles. Há um mito de que esses custos são "parte do jogo" e, portanto, não podem ser discutidos ou mesmo eliminados. A mentalidade predominante "centrada no canal" protegeu o status quo, levando a desvantagens de preço e, muitas vezes, a um resultado perde-perde para compradores e hoteleiros. Com a evolução do panorama da distribuição e tecnologia disponível para adequar a oferta em canais específicos - em particular para o mercado corporativo -, juntamente com as mudanças na macro regulação da paridade de canal, essa talvez seja uma visão obsoleta. Como os hotéis e as empresas precisam trabalhar juntos para mapear adequadamente os custos e os problemas mais relevantes de seus canais de distribuição e liderarem as negociações e a implementação em direção àqueles parceiros que proporcionam o melhor retorno para ambos os lados?

Fernão Loureiro, LATAM Business Travel Manager, Philips

Phelipe Farah, Diretor Hotel Solutions, HRS

Priscila Domit - Gerente Nacional de Vendas - Rede Blue Tree Hotéis

Painel

16:45

O futuro do viajante em um mundo hiper conectado

Tiago Mattos, futurista e co-fundador da Aerolito

Grande sessão

17:30

Fechamento

Suzanne Neufang, Vice Presidente para Américas, HRS e Alexandre Oliveira, Diretor Geral, HRS


— A agenda está sujeita a alterações —

  • 08:30 — Credenciamento & Welcome Coffee

    Credenciamento & Welcome Coffee

  • 09:00 — Abertura

    Abertura

  • 09:10 — Porque e-commerce é o único caminho para o futuro? O e-commerce é o segmento de varejo que cresce mais rapidamente, com projeção de US$ 4,058 trilhões em vendas até 2020. O “Mobile-commerce” (ou m-commerce) em particular, é uma via impulsionada principalmente pela expansão e pela influência dos smartphones e pela naturalidade com que os “millenials” os utilizam para comprar online. Em 2016, o setor de comércio eletrônico teve um aumento de 39,1% nas vendas em relação ao ano anterior. Há uma razão pela qual o comércio eletrônico demonstrou um crescimento tão explosivo nos últimos dois anos. De fato, com a internet se tornando um requisito essencial da vida cotidiana, as empresas estão aprendendo a tirar proveito dos inúmeros benefícios do comércio eletrônico.

    Porque e-commerce é o único caminho para o futuro? 

    O e-commerce é o segmento de varejo que cresce mais rapidamente, com projeção de US$ 4,058 trilhões em vendas até 2020. O “Mobile-commerce” (ou m-commerce) em particular, é uma via impulsionada principalmente pela expansão e pela influência dos smartphones e pela naturalidade com que os “millenials” os utilizam para comprar online. Em 2016, o setor de comércio eletrônico teve um aumento de 39,1% nas vendas em relação ao ano anterior. Há uma razão pela qual o comércio eletrônico demonstrou um crescimento tão explosivo nos últimos dois anos. De fato, com a internet se tornando um requisito essencial da vida cotidiana, as empresas estão aprendendo a tirar proveito dos inúmeros benefícios do comércio eletrônico.

  • 10:00 — Como o e-commerce pode suprir as necessidades dos viajantes em hospedagem corporativa? Como a tecnologia permite o sucesso do cliente em hospedagem corporativaAs reservas de viagens corporativas on-line têm se tornado a principal prática em mercados nos quais a combinação tecnologia, processos e pessoas chegou a um estágio de maturidade. Os viajantes de negócios, imersos e impactados pelo mundo digital em suas vidas cotidianas, desejam os aplicativos, a interatividade e a experiência que vivenciam como viajantes de lazer. Eles esperam pela oferta de hotéis que atendam tanto às suas necessidades e preferências quanto às políticas corporativas de suas empresas. Eles não querem investir seu tempo para pensar no planejamento de viagens e somente o uso de tecnologia possibilitará ofertas personalizadas e antecipadas. Quanto mais soubermos sobre os viajantes e seu padrão de viagem, mais seremos capazes de atender às suas necessidades e resolver as dificuldades de se planejar e gerenciar viagens corporativas.

    Como o e-commerce pode suprir as necessidades dos viajantes em hospedagem corporativa? Como a tecnologia permite o sucesso do cliente em hospedagem corporativa

    As reservas de viagens corporativas on-line têm se tornado a principal prática em mercados nos quais a combinação tecnologia, processos e pessoas chegou a um estágio de maturidade. Os viajantes de negócios, imersos e impactados pelo mundo digital em suas vidas cotidianas, desejam os aplicativos, a interatividade e a experiência que vivenciam como viajantes de lazer. Eles esperam pela oferta de hotéis que atendam tanto às suas necessidades e preferências quanto às políticas corporativas de suas empresas. Eles não querem investir seu tempo para pensar no planejamento de viagens e somente o uso de tecnologia possibilitará ofertas personalizadas e antecipadas. Quanto mais soubermos sobre os viajantes e seu padrão de viagem, mais seremos capazes de atender às suas necessidades e resolver as dificuldades de se planejar e gerenciar viagens corporativas.

  • 10:30 — Coffee Break & Networking

    Coffee Break & Networking

  • 11:15 — Como ficar conectado com seus viajantes antes, durante e após a viagem?É tudo sobre implementação! Sem isso, você não será capaz de alcançar os objetivos em economia nem em segurança e conforto do viajante. A viagem de negócios nunca é um objetivo, é apenas uma maneira de ir a algum lugar para uma reunião de negócios, externa ou interna. Os viajantes de negócios querem apenas torná-lo simples, suave e ter a experiência de viagem mais eficiente e agradável. Na maioria das reservas feitas fora da política, as compras são feitas durante a viagem, pois os viajantes desejam uma solução rápida e não prestam atenção à política de viagens neste momento. Por outro lado, você precisa que eles sigam a política de viagens e usem os canais de reserva escolhidos para garantir que você tenha visibilidade e controle das atividades e dos gastos. Esta sessão demonstrará como as tecnologias de atendimento ao cliente permitirão a conexão contínua com seus viajantes para garantir a conformidade e a satisfação do viajante. 

    Como ficar conectado com seus viajantes antes, durante e após a viagem?

    É tudo sobre implementação! Sem isso, você não será capaz de alcançar os objetivos em economia nem em segurança e conforto do viajante. A viagem de negócios nunca é um objetivo, é apenas uma maneira de ir a algum lugar para uma reunião de negócios, externa ou interna. Os viajantes de negócios querem apenas torná-lo simples, suave e ter a experiência de viagem mais eficiente e agradável. Na maioria das reservas feitas fora da política, as compras são feitas durante a viagem, pois os viajantes desejam uma solução rápida e não prestam atenção à política de viagens neste momento. Por outro lado, você precisa que eles sigam a política de viagens e usem os canais de reserva escolhidos para garantir que você tenha visibilidade e controle das atividades e dos gastos. Esta sessão demonstrará como as tecnologias de atendimento ao cliente permitirão a conexão contínua com seus viajantes para garantir a conformidade e a satisfação do viajante. 


  • 12:00 — Como conectar seus diversos fornecedores e simplificar os processos e acessos aos serviços de viagem?É tudo sobre API! Você pode imaginar um mundo onde todos os seus fornecedores de serviços de viagem estarão conectados entre si para oferecer uma melhor experiência de viagem a sua equipe e, ao mesmo tempo, fornecer os dados de que você precisa para manter o controle de seus gastos? Este sonho se tonará realidade graças à tecnologia API. Esta sessão cobrirá o status atual e os futuros desenvolvimentos da interconexão entre os vários fornecedores de serviços.

    Como conectar seus diversos fornecedores e simplificar os processos e acessos aos serviços de viagem?

    É tudo sobre API! Você pode imaginar um mundo onde todos os seus fornecedores de serviços de viagem estarão conectados entre si para oferecer uma melhor experiência de viagem a sua equipe e, ao mesmo tempo, fornecer os dados de que você precisa para manter o controle de seus gastos? Este sonho se tonará realidade graças à tecnologia API. Esta sessão cobrirá o status atual e os futuros desenvolvimentos da interconexão entre os vários fornecedores de serviços.

  • 12:45 — Almoço

    Almoço

  • 14:00 — Como conectar hospedagem para viajantes individuais e eventos?A categoria de hospedagem é o gasto mais comum entre viajantes individuais e eventos. Do lado do hotel, os dois serviços (FIT e Eventos) costumavam ser vendidos separadamente por diferentes forças de vendas com diferentes políticas de preços. Desde que compras começou a olhar para as oportunidades de otimização de gastos em eventos, a indústria hoteleira uniu sua equipe e se aproximou das corporações. No entanto, as políticas de preços e o gerenciamento de rendimento ainda permanecem diferentes e é difícil, muitas vezes, que os não especialistas entendam que tipo de otimização as corporações podem obter agrupando seus volumes. Esta sessão apresentará um estudo de caso sobre como uma corporação conseguiu otimizar seus gastos em hospedagem para viajantes individuais e eventos. 

    Como conectar hospedagem para viajantes individuais e eventos?

    A categoria de hospedagem é o gasto mais comum entre viajantes individuais e eventos. Do lado do hotel, os dois serviços (FIT e Eventos) costumavam ser vendidos separadamente por diferentes forças de vendas com diferentes políticas de preços. Desde que compras começou a olhar para as oportunidades de otimização de gastos em eventos, a indústria hoteleira uniu sua equipe e se aproximou das corporações. No entanto, as políticas de preços e o gerenciamento de rendimento ainda permanecem diferentes e é difícil, muitas vezes, que os não especialistas entendam que tipo de otimização as corporações podem obter agrupando seus volumes. Esta sessão apresentará um estudo de caso sobre como uma corporação conseguiu otimizar seus gastos em hospedagem para viajantes individuais e eventos. 

    
    
  • 14:45 — Como conectar com stakeholders internos para otimizar o resultado da categoria de compras de hospedagem?A categoria de despesas de viagens e eventos não é a única responsabilidade do comprador de viagens e eventos. Inúmeros stakeholders estão envolvidos na estratégia da categoria em vários níveis: de influenciadores a tomadores de decisão. Essas partes interessadas são baseadas em finanças, compras, RH, segurança, TI, unidades de negócios e têm todas necessidades e objetivos diferentes. Para ter sucesso, sua estratégia de categoria não deve levar em conta apenas a cultura e a estratégia geral de sua empresa, mas também os vários requisitos de seus stakeholders. Para fazer isso, você precisa saber como interagir com eles e entender o que eles esperam de você. Esta sessão irá explorar as principais necessidades de todos estes stakeholders. 

    Como conectar com stakeholders internos para otimizar o resultado da categoria de compras de hospedagem?

    A categoria de despesas de viagens e eventos não é a única responsabilidade do comprador de viagens e eventos. Inúmeros stakeholders estão envolvidos na estratégia da categoria em vários níveis: de influenciadores a tomadores de decisão. Essas partes interessadas são baseadas em finanças, compras, RH, segurança, TI, unidades de negócios e têm todas necessidades e objetivos diferentes. Para ter sucesso, sua estratégia de categoria não deve levar em conta apenas a cultura e a estratégia geral de sua empresa, mas também os vários requisitos de seus stakeholders. Para fazer isso, você precisa saber como interagir com eles e entender o que eles esperam de você. Esta sessão irá explorar as principais necessidades de todos estes stakeholders. 

  • 15:30 — Coffee Break & Networking

    Coffee Break & Networking

  • 16:00 — Os custos dos canais de distribuição e seu impacto na performance do programa de hotéisOs compradores de viagens e seus hotéis parceiros muitas vezes ignoram os custos de distribuição associados aos canais de reserva que estão inseridos nos serviços de hospedagem negociados por eles. Há um mito de que esses custos são "parte do jogo" e, portanto, não podem ser discutidos ou mesmo eliminados. A mentalidade predominante "centrada no canal" protegeu o status quo, levando a desvantagens de preço e, muitas vezes, a um resultado perde-perde para compradores e hoteleiros. Com a evolução do panorama da distribuição e tecnologia disponível para adequar a oferta em canais específicos - em particular para o mercado corporativo -, juntamente com as mudanças na macro regulação da paridade de canal, essa talvez seja uma visão obsoleta. Como os hotéis e as empresas precisam trabalhar juntos para mapear adequadamente os custos e os problemas mais relevantes de seus canais de distribuição e liderarem as negociações e a implementação em direção àqueles parceiros que proporcionam o melhor retorno para ambos os lados?

    Os custos dos canais de distribuição e seu impacto na performance do programa de hotéis

    Os compradores de viagens e seus hotéis parceiros muitas vezes ignoram os custos de distribuição associados aos canais de reserva que estão inseridos nos serviços de hospedagem negociados por eles. Há um mito de que esses custos são "parte do jogo" e, portanto, não podem ser discutidos ou mesmo eliminados. A mentalidade predominante "centrada no canal" protegeu o status quo, levando a desvantagens de preço e, muitas vezes, a um resultado perde-perde para compradores e hoteleiros. Com a evolução do panorama da distribuição e tecnologia disponível para adequar a oferta em canais específicos - em particular para o mercado corporativo -, juntamente com as mudanças na macro regulação da paridade de canal, essa talvez seja uma visão obsoleta. Como os hotéis e as empresas precisam trabalhar juntos para mapear adequadamente os custos e os problemas mais relevantes de seus canais de distribuição e liderarem as negociações e a implementação em direção àqueles parceiros que proporcionam o melhor retorno para ambos os lados?

  • 16:45 — O futuro do viajante em um mundo hiper conectado

    O futuro do viajante em um mundo hiper conectado

  • 17:30 — Fechamento

    Fechamento


— A agenda está sujeita a alterações —